O estado do mercado empresarial português 

   

Evolução dos Indicadores Económicos nos últimos 4 anos

 

Até ao ano passado, a economia portuguesa dava sinais de uma dinamização positiva. De 2017 a 2019 verificou-se uma curva ascendente no que respeita ao nascimento de empresas, o que demonstra confiança por parte dos empresários portugueses.

Já no que concerne aos encerramentos, não existe uma linearidade, já que em 2019 ocorre uma, quase, duplicação no numero de empresas encerradas. Este aumento pode ser explicado, eventualmente, pela criação de empresas muito acima da economia, podendo não ter, muitas delas, capacidade de sobrevivência, bem como, pela ação do Estado no que diz respeito às regras que ditam a inatividade das empresas, promovendo a sua dissolução. Por outro lado, as Insolvências diminuem, pelo bom contexto económico da altura.

2020 inicia com uma pandemia mundial, afetando todos os países não só socialmente, com também economicamente, abalando sobremaneira a confiança do mercado empresarial. Verificou-se um decréscimo substancial na criação de novas empresas, e só não ocorreram números catastróficos a nível do encerramento e insolvência  de empresas devido, em grande medida, à Lei nº 1-A/2020, de 19 de março, que, de entre outras medidas excecionais, determinava a suspensão dos prazos dos tribunais.

 

Novas Empresas 2019 Vs 2020

Como já referido ocorreu um decréscimo neste importante indicador económico e todos os setores de atividade registaram abrandamento no investimento em novas empresas, relativamente ao ano anterior. Os setores que apresentaram maior variação foram Transportes e Logística (-55,14%), Saúde e Apoio Social (-33,77%), Eletricidade e Gás (-32,94%) e Restauração e Turismo (-29,83%).

 

 

 

 

 

 

 

Já no que respeita às geografias que registaram menor atividade , em termos de constituição de novas empresas, foram: Setúbal (-30,64%), Lisboa (-28,71%) e Faro (-28,16%). As únicas regiões do país que aumentaram o número de nascimentos de empresas relativamente a 2019 foram  Portalegre (+23)  e Castelo Branco (+10).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Encerramentos 2019 Vs 2020

Apesar do contexto, em 2020, dos 16 setores de atividade analisados, 13 registaram uma redução no número de empresas encerradas. Por oposição, os setores onde ocorreu uma maior variação de 2019 para 2020  são Administração Pública (100%), Eletricidade e Gás (87,5%) e Transportes e Logística (30,41%).

 

 

 

 

 

 

 

Apesar do Distrito de Castelo Branco  ter apresentado registo positivo, no que se refere à constituição de novas empresas,  foi, paralelamente, a região onde encerraram mais empresas com uma variação de 28,07%,  seguida pelo Distrito da Guarda (23,26%) e de Setúbal (9,35%). Em Lisboa encerraram menos 394 empresas que em 2019 e em Leiria menos 190, sendo portanto, os Distritos que apresentaram melhores resultados neste indicador.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Insolvências 2019 Vs 2020

No âmbito geral, os processos de  insolvências sofreram um ligeiro crescimento relativamente ao ano 2019 cerca de 3,6%. Os sectores em que foram apresentados menos processos de insolvência são o Comércio a Retalho (-27),  o setor da Construção (-17) e, igualmente com menos 10 insolvências, que no ano anterior: os setores das Indústrias Transformadoras e da Agricultura, Pecuária, Caça e Pescas.

 

 

 

 

 

 

Dos 20 Distritos em análise, 11 apresentaram um decréscimo em número de insolvências. Coimbra (-20), Santarém (-18) e Viseu (-16) são os Distritos em que, em 2020,  menos empresas entraram em insolvência, comparativamente ao ano 2020.

 

 

Depois do retrocesso na trajetória de crescimento que a economia portuguesa estava a seguir até 2020, a dinâmica empresarial será retomada, embora que, com uma recuperação mais lenta e, segundo as nossas perspetivas, a partir do último trimestre de 2021 a economia pode voltar ao estado quase normal, uma vez atingida a imunidade de grupo pela vacinação massiva, que atinja mais de 70% da população..

Com a evolução positiva da pandemia, a partir do primeiro trimestre deste ano 2021, é provável que as restrições vão sendo, gradualmente, levantadas, embora com condicionamento, mas que, por si só, já é uma boa perspetiva para as empresas. De certo, a evolução da pandemia, a rapidez dos planos de vacinação, as políticas nacionais e o contexto internacional serão fundamentais nesta recuperação da atividade e na confiança dos empresários para a retoma do investimento.

 

Observatório Infotrust

 

 

Fevereiro de 2021

______________________________________________________________

Novas Empresas
Constituídas em 2021

> MELO RAPOSO LDA
> LONGOBRAS E REPARACOES UNIPESSOAL LDA
> TAREFAS COORDENADAS LDA
> VYASA LDA
> EIXOS E SEGMENTOS LDA
> OLIVEIRA & VILHENA LDA
> FORTUNA BLOCKCHAIN SOFTWARE DEVELOPMENT LDA
> IMOLPU LDA
> EMERGING BUBBLE LDA
> INFINITY ROAD LDA

 

 

 

 

ALGUNS DOS NOSSOS PARCEIROS

ENTRE EM CONTACTO

Se deseja ser contactado por um consultor da Infotrust sobre um produto ou qualquer outra questão, por favor preencha o formulário abaixo com os seus dados.
NOME *
EMAIL *
TELEFONE / TELEMÓVEL *
* Campos de preenchimento obrigatório

Este site utiliza "cookies" para funcionar correctamente. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. - Saiba mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close